top of page

Claudia Wonder


Claudia Wonder, foi uma figura emblemática e pioneira na luta pelos direitos da comunidade trans no Brasil. Desde jovem, sua vida foi marcada por uma forte presença na cena cultural e ativista de São Paulo. Na adolescência, já se inseria no contexto trans paulistano, tornando-se contemporânea e influente junto a outros grandes nomes do meio.


Claudia não apenas vivenciou, mas também moldou a história do movimento trans no país, destacando-se como uma voz audaciosa e inovadora na defesa dos direitos LGBTQIAP+.


Artisticamente versátil, Claudia Wonder atuou como performer, cantora, compositora, atriz e escritora. Sua carreira artística começou com shows em boates, rapidamente expandindo-se para teatro e cinema. Durante a ditadura militar brasileira, ela conseguiu a façanha de realizar shows e aparecer nas páginas culturais de jornais e revistas, um ato de resistência significativo naquele período. Além disso, participou de bandas de punk rock, influenciando gerações com sua música e presença de palco.


Na década de 1980, Claudia mudou-se para a Europa, onde passou onze anos trabalhando em shows e como empresária na área de estética. Este período no exterior foi marcante, mas seu retorno ao Brasil significou a retomada de sua carreira artística e de sua militância ativa. Claudia foi uma figura central em campanhas de conscientização sobre o HIV/AIDS, utilizando sua arte para desafiar preconceitos e mitos relacionados à doença, especialmente em um período onde a epidemia estava no auge e havia muita desinformação e estigma.


Sua contribuição ao movimento LGBTQIAP+ foi multifacetada, abrangendo desde a defesa dos direitos trans até a luta contra a violência homofóbica e transfóbica. Claudia foi escolhida como abre-alas da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo em 2001 e atuou como madrinha do Festival Mix Brasil de Cinema e Vídeo da Diversidade Sexual. Além disso, foi coordenadora do Grupo de Estudos da Identidade de Gênero "Flor do Asfalto" e trabalhou como colunista e repórter, sempre com um olhar crítico e transformador sobre as questões de gênero e sexualidade.


Claudia Wonder deixou um legado inestimável na luta pela igualdade e pela visibilidade da comunidade trans. Sua vida e obra continuam a inspirar novas gerações de ativistas e artistas, destacando-se como um exemplo de coragem, criatividade e resistência. Ela faleceu em 2010, mas sua memória e impacto permanecem vivos, celebrados e reverenciados no movimento LGBTQIAP+ e além. Foto: Antonio Milena/Veja SP

7 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page