top of page

Alan Oliveira


Alan Oliveira, um jovem ator de 30 anos originário do subúrbio do Rio de Janeiro, em Pilares, tem conquistado espaço e reconhecimento na indústria televisiva brasileira.


Sua entrada para o mundo da atuação aconteceu de maneira inusitada e emblemática, representando uma verdadeira mudança de vida para ele. Antes de sua estreia como ator, Alan trabalhava como motoboy, e era conhecido por criar conteúdos humorísticos e informativos nas redes sociais, onde compartilhava aspectos de seu cotidiano e, significativamente, sua jornada como pessoa trans.



A oportunidade de atuar surgiu quando Alan, que se identifica como um "motoboy influencer" e "favelado carioca" no Instagram, foi convidado para fazer um teste para a novela “Vai na Fé”. Na trama, ele interpreta DJ Cidão, integrante da equipe do personagem Lui Lorenzo, vivido por José Loreto. O papel foi um divisor de águas na vida de Alan, trazendo-lhe mais visibilidade e oportunidades, tanto emocionais quanto profissionais. Para Alan, oriundo do subúrbio e até então alheio ao mundo do entretenimento, a experiência na TV Globo representou um salto para um novo universo.


Em sua vida pessoal, Alan compartilhou a alegria de se tornar pai. Em 2023, anunciou que esperava seu primeiro filho com a namorada, Kamyla. O casal realizou um chá revelação, descobrindo que seriam pais de uma menina, a ser chamada Mariah Bella. Alan expressa sua conscientização sobre a importância de sua presença na mídia, destacando que, embora seja vital discutir questões relacionadas à transsexualidade e representatividade, ele aspira ser reconhecido por suas múltiplas facetas, incluindo sua atuação.


Alan também aborda os desafios enfrentados durante sua transição de gênero. Ele compartilha experiências de quase ter sido detido devido a documentos ainda não retificados, e discute as complexidades e custos associados à retificação de documentos para pessoas trans. Além disso, ele ressalta a importância de não ser limitado à sua identidade trans, buscando ser visto como uma pessoa multifacetada.


Além de ator, Alan é esportista de jiu-jitsu e fala sobre seu desejo de retornar aos tatames, agora competindo na categoria masculina. Ele reflete sobre o preconceito dentro da própria comunidade LGBT, enfatizando que, às vezes, os membros da comunidade podem ser mais hostis e preconceituosos do que aqueles de fora. Esta dualidade de aceitação e desafio é um aspecto central da experiência de Alan, tanto no esporte quanto na atuação.


Representando uma figura significativa para muitos, especialmente para a comunidade trans negra, Alan Oliveira é um exemplo de superação e de conquista de novos espaços. Sua história é um testemunho da luta constante por reconhecimento, igualdade e oportunidades no cenário brasileiro contemporâneo.


Foto: Oseias Barbosa



64 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page